15 de out de 2011

Ensaio sobre a amizade

Hoje escutei alguém dizendo que havia separado do marido, mas continuavam muito amigos e que eles ainda nutriam um grande amor entre eles. 
Imediatamente, pensei: Como isso é possível? É brincadeira!!? Fiquei admirada. Será que o que ficou foi a amizade? Essa tal amizade que deveria ser encontrada nas relações amorosas? Tudo bem, acabou!! Nada bem, acabou!! O amor existe? É possível ele continuar existindo depois de uma separação, de uma ruptura?
google imagens
 Sempre ouço todos (homens e mulheres) falarem que é impossível essa história de amizade, para alguns ainda fica uma convivência relativamente tranquila, sem discussões, brigas homéricas...ainda dá pra conseguir habitar o mesmo espaço ,ficando claro,  durante poucas horas. Normalmente, o casal não consegue nem se ver, muito menos se falar, tudo é motivo para levantar o inventário das mágoas, culpas, ressentimentos, enfim!
Como pode um grande amor  continuar sendo "o  amor da sua vida" sem  sexo, paixão, vida em comum, que são ingredientes inerentes numa relacionamento amoroso (homem-mulher)?
Será que era realmente amor? Será que o que pensamos ser o grande amor da nossa vida não seja simplesmente um engodo, sem a capacidade de ser amigo(a), companheiro(a) simplesmente porque prescinde tanto da presença, do afeto, da compreensão?
Se ainda existe confiança, admiração, respeito, talvez seja possível? Talvez, só talvez, esse grande amor da sua vida seja  o(a)  seu(sua) melhor amigo(a) e , consequentemente , continue sendo o o amor da sua vida? 
Lembrei que o Hermann Hesse dizia que a pessoa objeto do nosso amor é apenas um símbolo, uma lagoa onde o rosto da "outra" aparece refletido. Que "Outra"? Aquela que imaginamos...
Lembre-se que é possível estar imaginando sempre a "outra" ? Talvez por isso seja impossível para algumas pessoas continuarem amando após uma separação? Talvez!!!
Deixo você com a reflexão e com e como os seguintes textos:
 A Outra ( amamos sempre no que temos)  do Fernando Pessoa.
Acesse o link para ler  o poema: http://www.revista.agulha.nom.br/fpessoa29.html
Ensaio sobre a amizade da Lya Luft.
Acesse o link para ler o texto: http://veja.abril.com.br/280606/ponto_de_vista.html

Paz e Luz!
Judi Menezes

Nenhum comentário: