20 de jul de 2012



Há um tempo atrás acredito que em 2009 eu escrevi esse texto...estava muito inspirada, mandei para algumas pessoas, pessoas especiais!! 
Hoje estava me sentindo uma IDIOTA!! Nem lembrava direito que tinha escrito esse texto. E por me sentir uma idiota, coloquei no google, realmente tinha algumas coisas pra fazer, mas como toda idiota que se preza, resolvi "jogar" a frase (sou uma idiota) e eis a surpresa meu texto estava lá. Pelo menos não divulgaram a autoria. Consta como autor desconhecido. Ultimamente, algumas pessoas que conhecem um pouco do que escrevo, dizem ter encontrado textos meus na net. Sinceramente, não me importo com essa questão de autoria, não vivo disso e nem sou vaidosa o suficiente para... Fico até lisonjeada que alguém tenha gostado e resolvido adotar, tomar para si a autoria.
Com vocês, assumindo a autoria e a idiotice!!!
Paz e luz!
Judi Menezes

EU SOU UMA IDIOTA

Hoje reparei um pouco mais na pessoa refletida no espelho.
Fiz uma séria constatação. EU SOU IDIOTA!
Isso mesmo, idiota. Mas não pense que tenho vergonha disso.Nos dias de hoje, ser idiota é privilégio. Os idiotas de hoje são aqueles que conseguem sorrir mesmo quando a dor aperta.
São aqueles que ainda dizem Eu te Amo olhando nos olhos, que valorizam abraços e gostam de andar de mãos dadas.
Idiotas são aqueles que crêem num sentimento sincero, que ainda esperam encontrar um amor perfeito, que escrevem e lêem poesias e que mandam flores.
Idiotas são românticos, no sentido mais meloso da palavra, mas não se envergonham disso. São aqueles que se permitem chorar quando a dor machuca, quando o amor se vai ou o filme emociona.
Cantam músicas de amor como se fossem hinos, mesmo porque, para seus corações apaixonados realmente são.
Idiotas são sentimentais. Se magoam com a menor das brigas e lutam pela reconciliação. São aqueles que não ligam para o que os outros dizem, eles se dão por completo.
Idiota é aquele que pede desculpa mesmo sem ter errado, que pede licença, que dá bom dia, boa tarde, boa noite. Que pergunta “como vai?”, “precisa de alguma coisa?”, “ta tudo bem?’. É aquele que não esquece nem do amigo que não dá mais notícias, aquele que lembra da infância e comemora o quanto foi bom.
Idiota é aquele que ri de si próprio, que brinca de descobrir desenho em nuvem, que anda descalço e toma banho de chuva.
Que chora por briga de amor, e que a cada briga acha que o mundo acabou, mas que logo perdoa.
Idiota é aquele que, mesmo nesse mundo corrompido, insiste em ser sincero. Que estende a mão pra ajudar quem for, que faz o bem sem olhar a quem.
Idiotas se preocupam, se arrumam e se enfeitam para ver a pessoa amada. Querem estar sempre belos, nem que seja só pra se olhar no espelho.
Idiotas se divertem.Idiotas tem amigos.Idiotas amam. e até acreditam em amores eternos. Idiotas são felizes...Hoje afirmo com todas as letras, eu sou uma idiota e ñ me envergonho disso!!! Mas, continuo sendo uma IDIOTA.




Pode ser idiota!!
Mas, é uma verdade, pelo menos, para algumas pessoas.
Paz e luz!
Judith

17 de jul de 2012






Esse é um dos texto que suscitam a nossa reflexão. Ele nos mostra que a vida nada mais é do que uma viagem e nos faz refletir sobre a sua importância.
Portanto, dedico esse texto a você , talvez nossos assentos não estejam lado a lado, mas com certeza , de alguma forma, estamos no mesmo vagão!
Paz e Luz!!
Judi Menezes

Confira, abaixo, o texto "A vida é como uma viagem de trem" da série "Textos: Lendo, Aprendendo...":

A Vida é como uma viagem de trem

A nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e
desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas
agradáveis com alguns embarques e de tristezas com os desembarques.

Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas
que, acreditamos que farão conosco a viagem até o fim: nossos pais. Não
é verdade. Infelizmente, em alguma estação, eles desembarcam,
deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto.

Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas
interessantes que virão ser especiais para nós: nossos irmãos, amigos e
amores.

Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outras fazem a viagem
experimentando somente tristezas. E no trem há, também, outras que
passam de vagão em vagão, prontas para ajudar quem precisa.

Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de
tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe.

Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros
acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa
viagem separados deles. Mas isso não nos impede de, com grande
dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles. O difícil
é aceitarmos que não podemos sentar ao seu lado, pois outra pessoa
estará ocupando esse lugar.

Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas,
embarques e desembarques. Sabemos que esse trem jamais volta.

Façamos essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom
relacionamento com todos, procurando em cada um o que tem de melhor,
lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e,
provavelmente, precisaremos entender isso. Nós mesmos fraquejamos
algumas vezes. E, certamente, alguém nos entenderá.

O grande mistério é que não sabemos em qual parada desceremos.

E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim.
Deixar meus filhos viajando sozinhos será muito triste. Separar-me dos
amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido.

Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação
principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não
tinham quando embarcaram.

E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para
que essa bagagem tenha crescido e se tornado valiosa.

Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e
desembarquem pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai
diminuindo sua velocidade…

Quem entrará? Quem sairá? Eu gostaria que você pensasse no desembarque
do trem, não só como a representação da morte, mas, também, como o
término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e
que, por um motivo ínfimo, deixaram desmoronar.

Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de
reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber
viver, é tirar o melhor de “todos os passageiros”.

Agradeço muito por você fazer parte da minha viagem, e por mais que
nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo.


(Autor Desconhecido)





15 de jul de 2012






"O julgamento é feio - ele fere as pessoas. Por um lado, você vai machucando, ferindo-as; e por outro lado, você quer o amor delas, seu respeito. Isso é impossível. Ame-as, aceite-as e, talvez, seu amor e respeito possa ajudá-las a mudar muitas de suas fraquezas, muitas de suas falhas - porque o amor lhes dará uma nova energia, um novo significado, uma nova força. O amor lhes dará novas raízes para se erguerem contra os ventos fortes, um sol quente, a chuva forte. Se apenas uma única pessoa o ama, isso o faz tão forte, que você nem pode imaginar. Mas, se ninguém o ama neste vasto mundo, você fica simplesmente isolado; então, você pensa que é livre, mas você está vivendo numa cela isolada em uma cadeia. É que a cela isolada é invisível; você a carrega consigo." Osho

Paz e luz!!!
Lembre-se que investigar as  raízes  fortalece a  árvore!!
Judi Menezes