24 de nov de 2013

Não implore amor...



Que ninguém implore amor, nem afeto, nem mendigue qualquer sentimento que exige um pedaço do outro. Viver de migalhas, jamais. Soma-se de coisas que te façam bem, ignore qualquer tipo de sentimento que te subtraia. Nada de subtrações ou de pouco contentamento...
Que tudo seja natural, principalmente nossas próprias escolhas. Que as pessoas não sejam apenas de carne e osso, mas que sejam de alma e coração, que façam a diferença, nem que seja por um momento, mas que seja!!!
Que o carinho seja muito mais que um simples tocar, mas seja um sentir.
Que a compreensão venha junto com a paciência de aceitar o outro como ele é.
Que julgamentos sejam apenas julgamentos de pessoas precipitadas que não enxergam o sentido de um ser humano, e que elas se corrijam, pelo menos...
Que todos consigam alcançar a felicidade, e que ela seja partilhada, desperdiçando sorrisos e esbanjando alegrias.
Que tenhamos forças para aguentar as nossas fraquezas e coragem para assumi-las.
Que a nossa vida tenha o sobrenome de viver, de verdade. Que nada seja de mentira, e quando houver mentira que tenhamos a serenidade de reconhecer que o tempo sempre faz seu trabalho, e bem feito!!
E que antes de aprender a amar o outro, amemos a nós primeiro e se for implorar por amor, que seja pelo nosso próprio amor ( amor próprio).
Paz e luz!! Com um acréscimo, muito amor próprio.
Judi Menezes





Quando você está compartilhando sua alegria, você não cria uma prisão para ninguém -- você simplesmente dá. Você nem mesmo espera gratidão ou agradecimento, porque você está se doando, não para obter alguma coisa, nem mesmo gratidão. Você está se doando porque você está tão pleno, você tem que se doar.
Acredito que com o amor também é assim... a isso dou o nome de plenitude: simplesmente amar, sem necessidade de trocas, indulgências, sem o apego pela cena...
Paz e luz pra você ...

Judi Menezes